Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

# Tempo circadiano

26.03.19 | marina malheiro

Aprendi há precisamente 3 anos o que é o ritmo circadiano. Não basta correr, caminhar, vários kms por semana, ouvir música zen ou dançar freneticamente, é preciso dormir mesmo, para que não sintamos em situações de stress ao quadrado o coração a galopar na garganta . Restabelecer o ritmo circadiano com melatonina é tudo quanto basta. 

Há, neste momento, uma extrema dificuldade na gestão do ritmo frenético do trabalho dito intelectual com o tal ritmo circadiano. Atletas caem literalmente em jogos fatais, bancários partem no local de trabalho e empreendedores admiráveis partem a meio da criação de ideias e de empresas.

Meditar sobre isto poderia ser algo fundamental para um gestor de recursos humanos em enfermagem ou  em educação, por exemplo. Evitar-se-iam muitas ausências prolongadas do local de trabalho. Não são necessários dias de arritmia para o trabalhador comum mas de saudável movimento sistólico e diastólico ( in/ out).

Ouvir esta música acalma até os espíritos mais frenéticos- pura melatonina poética.

@mmalheiro

música- Ravi Shankar e André Prévin, quarto movimento, 1988 ( all rights reserved to Shankar & Previn)

" O tempo é o caracol que enrola a concha" (Mia Couto) - feat. Tito Paris

24.03.19 | marina malheiro

"Para si, meu filho, para si que estudou em escola, o chão é um papel, tudo se escreve nele. Para nós a terra é uma boca, a alma de um búzio. O tempo é o caracol que enrola essa concha. Encostamos o ouvido nesse búzio e ouvimos o princípio, quando tudo era antigamente."

Mia Couto in O último voo do flamingo ( todos os direitos reservados a Mia Couto)

música Tito Paris ( todos os direitos reservados)

aos moçambicanos 

@mmalheiro

# As nuvens e o algodão doce (feat. A.Zambujo)

15.03.19 | marina malheiro

16002cb883663db18c00d20d9e51534c.jpg

Foto de (Yves Robert , 1962)

no dia em que me relembraram que as  nuvens são mais do que vapor de água, são algodão doce.

no meio do turbilhão de vidas descompassadas , de gentes que são nuvens, há música como esta  ( todos os direitos reservados a António Zambujo).

Aos meus filhos, Manel e David

@mmalheiro

música- "Sem palavras", António Zambujo in Do Avesso ( 2018)  todos os direitos reservados a António Zambujo