Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

# Valeu a pena- ao Prof. Mário Moniz Pereira ( feat. Carlos Ramos)

31.07.16 | marina malheiro

9efae3a1c68788b46b582092c37c4b82.jpg

 

                                    foto via Pinterest.

                                  Hoje a pista de atletismo fica vazia. Vénia a um atleta, treinador, letrista e compositor de fado, e exemplo para todos os que dão umas passadas pelas pistas, sempre com espírito desportivo. A Mário Moniz Pereira. 

                                  Valeu a pena, letra e música de Mário Moniz Pereira, voz Carlos Ramos, 1967. ( direitos reservados a M. Moniz Pereira)

                                 @mmalheiro

#Apologia da beleza na velhice ( feat. The Police)

30.07.16 | marina malheiro

e5483db2649af802d5f9ac60b1aa2e96 (1).jpg

 

                                 Guincho, Cascais, s/d

                              Muitos anos nos separam da época desta fotografia. Muito provavelmente os que nela figuram já morreram e os outros têm uma idade bonita, sábia.

                             Hoje, quando corria na pista que ladeia a Marginal, vi, encantada, muitos velhos ( velho é para mim mais bonito do que o institucional idoso) sentados nas rochas ( dado que a maré estava muito baixa) a lerem o jornal, descontraídos na sua solidão acompanhada ou deitados a tentarem apanhar um vislumbre de sol no corpo de linhas desenhadas, com gorduras assumidas sem pudor, livres.

Um pouco mais à frente banhava-se , sem mergulhar, como uma criança feliz, um velho alto e espadaúdo que me lembrou um familiar meu.

Os meus já sentem a velhice no corpo, apesar da mente ágil e viva. Um dia destes lá estarão também , sentados, a ler um livro e a olhar o mar, felizes ( Bisado neste Blog, o concerto dos Police, em 1978,no Beat Club- all rights reserved to The Police).

[ aos meus pais] 

@mmalheiro

 

# Muddy Waters & The Rolling Stones (ao vivo)

29.07.16 | marina malheiro

c4970fd5bac9217e4f4d682121b08871.jpg

                                                       Foto Henri Cartier-Bresson ( tous les droits reservés)

                                             (...) O nariz é em certo sentido uma marca de compromisso com a vida. (...) Nos detalhes da sua pessoa há indícios de um processo ainda incompleto. É o processo de transformar um homem num instrumento perfeito. ".  ( all rights reserved to The Rolling Stones and Muddy Waters).

Salter, James, A última noite e outras histórias, Livros do Brasil , 1ª edição fev. 2016. ( edição original de 2013), pp- 15/16

Tradução Francisco Agarez

 

# Do dia sem San(ção) ( feat. The Rolling Stones)

27.07.16 | marina malheiro

f54c713306993f3faea2f006cfedc96f.jpg

 

 foto in Natural Area Rugs

                                           [ num dia especial , dia zero sanção ( Sansão?) para Portugal e Espanha]

                                            @mmalheiro

                                           

                                            

 

# Ponto de ebulição ( feat. Blur)

26.07.16 | marina malheiro

1a601f7a00e46dfe4fbab89d0bad5014.jpg

                                         

Masao Yamamoto, “Nakazora” #1025 (中空), Silver Gelatin Print

via Pinterest.

Creio que esta é a imagem para o ponto de ebulição em que se encontra a Europa. Interprete como quiser.

Estamos claramente, por um lado em guerra e ,por outro, em loucura latente. Nem escapou a histórica Normandia.

Por isso, esta é a música adequada para este triste momento. ( all rights reserved to Blur)

pela paz. sempre.

@mmalheiro

 

# Back On the Chain Gang (feat. The Pretenders)

24.07.16 | marina malheiro

3a47b3457e459e3adb84a1909527eb8d.jpg

 

                                                     John Singer Sargent, Capri, 1878

                                        [ escreveu  Sophia de Mello Breyner , em 1944, o poema "Casa Branca"]

 

"Casa branca em frente ao mar enorme,
Com o teu jardim de areia e flores marinhas
E o teu silêncio intacto em que dorme
O milagre das coisas que eram minhas.
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...


A ti eu voltarei após o incerto
Calor de tantos gestos recebidos
Passados os tumultos e o deserto
Beijados os fantasmas, percorridos
Os murmúrios da terra indefinida.

Em ti renascerei num mundo meu
E a redenção virá nas tuas linhas
Onde nenhuma coisa se perdeu
Do milagre das coisas que eram minhas."

in Poesia, 1944

via Biblioteca Nacional de Portugal

[ as casas têm, de facto, alma. ]- all rights reserved to The Pretenders.

a E D.., J.D. e Sara Harries

 @mmalheiro

# Dias tutti frutti (feat. Beach Boys)

22.07.16 | marina malheiro

8d9d182652af439e22ad4b8b0a72b7d1.jpg

                                            em dias tutti frutti ,no breve intervalo dos afazeres profissionais, no espaço mais democrático de todos, a praia, passam vendedores de saladas de fruta com ar de surfista, vendedoras de cuecas de gola alta, corredores estivais  de  400 metros barreiras  até ao toldo mais próximo (aos 40 não dá mais) em modo de abate da barriguinha,  e não há até ao momento vislumbre de pokémons subaquáticos, nem de guerras, nem de quezílias partidárias, nem de relatórios bancários, nem de totalitarismos em banhos turcos.

Tudo isso está fora do tutti frutti. 

Fiquemo-nos (por agora) pelo tutti frutti numa califórnia portuguesa, em modo "dolce fare niente"

@mmalheiro

 

Pág. 1/3