Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

# Um homem extraordinário chamado Oliver Sacks ( feat. The Doors)

31.08.15 | marina malheiro

76c67620a3c2cb46f5b99a1dd8247a44.jpg

                         Oliver Sacks, 1961, Greenwish Village ( all rights reserved to Oliver Sacks Foundation) 

Hoje partiu Oliver Sacks, um homem extraordinário cujo legado tão rico quer científica, quer humanamente, nos remete sempre à condição de aprendizes no nosso caminho como pessoas.

Neste Blog encontra 2 textos com referência a Oliver Sacks, em particular à questão das alucinações musicais no seu livro Musicofilia. Foi criada uma Fundação com o seu nome, perpetuando assim o seu legado.

Serão publicados 2 artigos ainda esta semana no New York Review of Books e na New Yorker.

Poderá conhecer e aprender mais sobre Oliver Sacks aqui e ler o último artigo publicado dia 14 de agosto de 2015 e as suas memórias cujo título On the move (2015), é de um poema do seu amigo Thom Gunn.

"The brain is more than an assemblage of autonomous modules, each crucial for a specific mental function. Every one of these functionally specialized areas must interact with dozens or hundreds of others, their total integration creating something like a vastly complicated orchestra with thousands of instruments, an orchestra that conducts itself, with an ever-changing score and repertoire."

Oliver Sacks

https://www.youtube.com/watch?v=DED812HKWyM&hd=1 The Doors, Riders on the storm in LA Woman ( 1971) ( all rights reserved to The Doors)

@mmalheiro

# Ma se vuoi dare a un samba la bellezza ( Vinicius de Moraes)

28.08.15 | marina malheiro

Samba da Bênção em italiano por Vinicius de Moraes ( versão linda)

Hoje lia esta notícia do NYTimes sobre o italiano da Via Fondazza que normalizou a vida dos habitantes - dado que criou uma rede social viva, real,  à antiga, do tipo antigo lisboeta - "do pedir salsa ao vizinho"- descontruindo o paradoxo que é a rede social na internet ( tão juntos, mas cada vez mais distantes nos seus quadrados digitais). Talvez um dia visite a Via Fondazza...

a António Tabucci e Vasco Graça Moura,  grandes tradutores de italiano 

@mmalheiro

 

 

# Do vinho novo - # let me hold your hand ( feat. Rodrigo Leão)

27.08.15 | marina malheiro

                       

                     

d6d942540b5c8534cf475df23a21ccca.jpg

 em b-eastl-y.tumblr.com

era uma vez um tempo de vinho novo onde só tu, tão terno e frágil, importavas.

https://www.youtube.com/watch?v=yLxmT0E6QeA&hd=1 Hapiness, Rodrigo Leão ( todos os direitos reservados a Rodrigo Leão)

@mmalheiro

 

 

 

 

# A gaveta de cima ( feat. Dave Mathews Band)

26.08.15 | marina malheiro

03ffd1c3fc059f58bf58462c30ea0e5e.jpg

 Patrick Demarchelier ( foto ) - todos os direitos reservados

Existe claramente um Amor na gaveta de cima da Vida, aquele que nos faz sorrir, sofrer, ser livres, corrermos contra o tempo.

Para isso é precisa toda a Coragem, "chupar o tutano da vida" no que a vida tem de melhor e pior e realmente dizer no final "Confesso que vivi", mesmo com espinhos ou cravos vermelhos. 

Nada é pragmaticamente certo como os ponteiros do relógio na nossa existência.

De um momento para o outro deixamos de usar relógio mas está tudo bem e avança-se pelo tempo fora.

É isso que importa na nossa estrutura limpa. Cada um saberá da sua gaveta. Prefiro a de cima, dispenso as outras.

( dance com os magníficos Dave Mathews Band que virão a Lisboa em Outubro)

@mmalheiro

 

 

 

# Voar (feat. Louane Emera)

25.08.15 | marina malheiro

6b59eed8b8f56c90af5cb44eb296da03.jpg

                foto via Pinterest

                Há filmes que são magníficos porque nos deixam literalmente sem palavras. Numa realidade frenética como a atual, em que impera o consumo das emoções e uma estupidificação do sentir, é excelente voar assim no filme "A família Bélier" (2015). É realmente esta mensagem ( a do filme) que importa.

Tradução do guião para português por Sara Rute Gomes.

Deixo aqui uma das músicas do filme cantada por Louane Emera ( original de Michel Sardou).

                https://www.youtube.com/watch?v=0cW2HZbSh2U&hd=1

( tous les droits reservés à Louane Emera et Michel Sardou/ all rights reserved)

ao meu filho Manel

@marinamalheiro

# Wild wild life (feat. David Byrne & St.Vincent)

10.08.15 | marina malheiro

ad8635ea5b2711c2c2524527cdea25de.jpg

                                       https://www.youtube.com/watch?v=yDsK0KDuaRQ David Byrne &                                   ST.Vincent and Channel+), Março   2015 ( all rights reserved).

                                      @mm

# Demagogia (feat. Lena D'Água & R'n'R Station)

10.08.15 | marina malheiro

                         Todos os direitos reservadíssimos a Lena d'Água & R'n' R Station & Luís Pedro Fonseca

                         ( álbum Carrossel, 2014)

                        é tão boa esta versão de 2014 do original (Luís Pedro Fonseca) de Lena d'Água & Atlântida-                                  e  sempre atual o tema ... em tempos pré-eleitorais- que nem há mais palavras. 

                                                                      @marinamalheiro

# O 1º livro de Hemingway (feat. F.Mac)

09.08.15 | marina malheiro

                         

                                 

60a786f590e3e162aa1f39fe1d8c5c54.jpg

                                     traditional fittings from www.classicmarine.com

                      

                              all rights reserved to the magnificent Fleetwood Mac.

                                          quase em "modo countdown"com Bukowski (agora),

                                           ler para navegar melhor (depois):

                        eis ,  o primeiro livro de Ernest Hemingway (1923)- Three Stories & Ten Poems,

                  cuja   primeira   edição foi apenas de 300 exemplares, em versão ebook, via Openculture.

@mm

 

                                   

# Serpentine Dance - Lumière, D.Byrne & J.L.Borges

08.08.15 | marina malheiro

                        Filme de 1896 dos Irmãos Lumière (Loie Fuller)

                        Talvez Loie dançasse esta música hoje, lembrando-se de Borges. Conjugações improváveis?

                        "Why not"?

                         dance on!

                         @marinamalheiro

Pág. 1/2