Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

# Do exercício da engenharia da resiliência em 2015 ( feat.Brigada Vítor Jara & Rui Nunes)

30.12.14 | marina malheiro

há semanas vi um mendigo embrulhado num saco do lixo no exterior de um Banco. estava frio, muito, junto ao Marquês de Pombal.

no deve e haver da contabilidade social deste país, em 2014, há um palavra que ,infelizmente, contará para a estatística, o empobrecimento. se há anos, poucos, havia portugueses que acumulavam trabalhos, neste momento, o balanço é negativo. muitos e jovens com imenso potencial, emigraram, outros acumulam dias de desemprego, trabalho e precariedade. marcadas , cada vez mais, as assimetrias sociais neste final de 2014.

como hoje dizia um piloto de aviões em relação a um fenómeno metereológico- uma ascensão ou espiral vertical é necessária para nos desviarmos do "tempo mau". 

esperemos que o programa Portugal 2020 e o Banco de Fomento- aprovado por estes dias- mude, de facto, a  vida de muitos e relance a Economia, nomeadamente setores que parecem estagnados, como é o caso da formação profissional. Votos para que se empreenda, para que haja boas ideias com aplicabilidade e retorno efetivo.

portanto, o que pilotos treinam neste momento, a chamada "engenharia da resiliência", é o que milhares de portugueses terão de fazer em 2015.

Bom 2015.!  Obrigada por seguir  o Jazzística. 

@marinamalheiro

 

               Brigada Vítor Jara, Vai-te embora ó papão, 1984 ( todos os direitos reservadíssimos à Brigada Vítor Jara)

                          " (...) façam com as palavras aquilo que quiserem , desfaçam-nas:

                uma palavra desfeita não magoa,

               uma palavra inteira rasga a boca, 

               uma palavra inteira é a certeza

de outra palavra inteira, a corda fina

que vai da trave à terra, do caibro ao vento

de uma janela aberta:

a imprecisa

minúcia da poeira." Rui Nunes in "Nocturno Europeu", Relógio D'Água, p. 13, Novembro 2014 ( todos os direitos reservadíssimos a Rui Nunes)

 

 

#1271- Engrenagem (feat . José Mário Branco e H. Arendt)

27.12.14 | marina malheiro

df710f09bc8a725b507a1b825770e73a.jpg

                                                 https://www.youtube.com/watch?v=ChuWtONPaz4 José Mário Branco, Engrenagem , ao vivo em 1997 ( original de 1973/ todos os direitos reservadíssimos ao grande José Mário Branco).

A confiança na realidade da vida, pelo contrário, depende quase exclusivamente da intensidade com que a vida é experimentada, do impacto com que ela se faz sentir.

Hannah Arendt

em dias, entre o passado e o futuro , para compreender melhor a filosofia política do presente, sob o olhar  de Hannah Arendt.

@marinamalheiro

#1270- Da gestão da esperança

24.12.14 | marina malheiro

pessa.jpg

 

                                       Fernando Pessa entrevistando um peru (1937)

                                diz-se que o Natal é todos os dias e é verdade. No meio das contrariedades, das pedras no caminho, contam os que importam, com quem partilhamos os risos e os sorrisos amarelos pelos dias fora. vai-se fazendo a gestão da esperança como se fosse uma cadeira de um MBA qualquer, talvez seja do MBA mais importante de todos.

                            Um feliz Natal para todos os que leem este  Blog ( pura carolice minha)

                            aos meus amigos e familiares do coração

                            ao meu filho Manel

                            https://www.youtube.com/watch?v=QmFCUH9B398 Canto porque sonho, Fausto e Zeca (1974)

                               @marinamalheiro

                                

                            

# Não canto porque sonho ( feat. Noiserv)

22.12.14 | marina malheiro

7e11f5d130390be72856729b088486db.jpg

 

                                                                             Pintura de Lorraine Christie (I'll Dance Alone)

 https://www.youtube.com/watch?v=EBwmfCMHN7A Noiserv ( não canto porque sonho/ cover do original de Fausto(1974)), 2014 ( todos os direitos reservados a Noiserv)

"É preciso repensar a nossa vida. Repensar a cafeteira do café, de que nos servimos de manhã, e repensar uma grande parte do nosso lugar no universo. Talvez isso tenha a ver com a posição do escritor,..."

Al Berto

@marinamalheiro

a todos os que repensam a vida, neste momento

@marinamalheiro

# Nocturno Europeu ( feat. Hasselberg & Rui Nunes)

19.12.14 | marina malheiro

O melhor de 2014 são as palavras, puras aprendizagens dos outros, e a música. sempre.

por isso,

a mestria pura

da desconstrução

da palavra

de Rui Nunes " (...) Aos poucos um país inventa a sua história , onde repousa a mão que devia atirar pedras, aos poucos os heróis  inventam-nos o ódio, os inimigos, a ficção de um presente amodorrado, os rebanhos dispersos pela sede, a erva seca que alimenta um passo após o outro (...) Não tenho forças para não escrever, para que a minha raiva se torne um gesto. Este é o tempo dos gestos. (..) in Nocturno Europeu, Relógio D'Água, Novembro 2014 ( todos os direitos reservados a Rui Nunes)

e a música, jazzística e nova de João Hasselberg.

 João Hasselberg, Two brothers in a treasure hunt , Novembro 2014 ( todos os direitos reservados a João Hasselberg)

@marinamalheiro

# Seguiremos adelante ( feat. Soledad Bravo)

17.12.14 | marina malheiro

                      Soledad Bravo, Hasta siempre comandante Che Guevara

                           Seguiremos adelante
                     como junto a ti seguimos
                        y con Fidel te decimos:
           Hasta siempre, Comandante!

                       a Cuba.

@marinamalheiro

                                                      

 

                                                        

 

# Da arrogância

15.12.14 | marina malheiro

Placebo, magnífica cover do original de Kate Bush , "Running up that hill" (2012) ( todos os direitos reservados a Placebo)

estes são dias de arrogância e de poder em capas de jornal.julgamentos públicos para cachas altas. rapidamente para mais umas edições num país em que parecem perder-se cada vez mais os valores. parece transferir-se para os pequenos poderes, para aqueles cuja mediocridade é tão gritante, esta arrogância. 

"Os arrogantes são como os balões: basta uma picadela de sátira ou de dor para dar cabo deles."

Madame de Stael

#1265- Das outras preventivas

14.12.14 | marina malheiro

images.jpg

 

                                Li hoje sem espanto que vão abrir mais lojas de luxo na Av. da Liberdade e de que o fosso entre pobres e ricos em Portugal aumenta cada vez mais. Diminuiu e muito o poder de compra dos portugueses, milhares abandonaram o país, milhares continuam desempregados ( apesar das estatísticas o contrariarem com "números mascarados em formação profissional"), milhares subsistem em empregos precários. Até quando? Esgotaram-se os planos A, B,C. Que planos agora para os que foram forçados a pagar a crise que outros criaram poderão  fazer? Resta apenas o Portugal 2020 cuja abertura a 13 de novembro poderá finalmente  dinamizar a Economia? Depois só o plano E.

sem música natalícia.

boas festas.

@marinamalheiro

# Dos despojos do dia ( feat. Capicua & Zeca Afonso)

09.12.14 | marina malheiro

Capicua & Zeca Afonso ( Pedras da Calçada), 2013 ( todos os direitos reservados a Capicua)

os despojos do dia mostram  apenas palavreado em inquérito parlamentar daqueles que um dia foram poderosos. na verdade, tudo se resume ao Poder. quem pena? quem tem de facto dias de "prisões económicas preventivas", criadas pela necessidade de restringir, cortar, diminuir salários, reformas, subsídios? quem está sempre sob o jugo económico são os referidos nesta notícia, aqueles sobre quem, por estes dias, se dizia demagogicamente  que são "necessários" porque estamos em crise.

 

"A pobreza é indispensável à riqueza, a riqueza é necessária à pobreza. Esses dois males engendram-se um ao outro e sustentam-se um ao outro. O que é preciso não é melhorar a condição dos pobres, mas acabar com ela". Anatole France

@marinamalheiro

 

Pág. 1/2