Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

#1117- Da Física (feat. Foxygen)

30.03.14 | marina malheiro

 

 

                                                      https://www.youtube.com/watch?v=Fg-RT9Iqg2U Foxygen, No obstruction (2013)

 

                                                     A Física continua a reger a nossa vida, os nossos movimentos, as nossas decisões. Nem tudo é controlável na palma das nossas mãos. Qual a probabilidade de um ente terno e querido passar mesmo ao nosso lado na auto-estrada e não o vermos? Muita. Mesmo. Congelar os momentos, impossibilitar que nos passem pelos dedos à velocidade da luz seria fantástico.

Só os podemos guardar num espaço único, em nós, e esperar que o Alzheimer não nos alcance nunca.

 

@marinamalheiro

 

 

#1115- Se os teus olhos se vendessem ( feat. Francisco Fanhais)

29.03.14 | marina malheiro


Se os teus olhos se vendessem , Francisco Fanhais, 1975 ( todos os direitos reservados a Francisco Fanhais)


na noite em que se celebraram os 40 anos do 25, Zeca e a liberdade, em concerto longo, houve momentos únicos como o trinado de Luísa Amaro como se Paredes ali estivesse, a variação magnífica do maestro António Vitorino de Almeida do tema de Grândola tocado a 4 mãos com outro pianista ( numa magnífica improvisação e "loucura musical") e,

                                                                                    na voz de Francisco Fanhais esteve ,

de modo arrepiante e emotivo,

Zeca Afonso.


@marinamalheiro

#1114- Penso em voz alta/ até que ouço a mesma voz ; feat. Jorge Palma (1975)

27.03.14 | marina malheiro

 

 

                                                     Foto de Vintage Everyday 

https://www.youtube.com/watch?v=YI2uLCD4Dy4

Jorge Palma, "Monólogo de um cidadão frustrado", 1975

 

"(...) mais um sorriso que tem de valer por dois/ (...) mas ninguém será reembolsado (...)

 

salta manhã/são horas de andar (...) calma / lá vem o patrão (...)

 

aos meus pais que me ensinaram/ensinam a acreditar em ideais e a lutar por eles

 

@marinamalheiro

#1113- Tens tanto para andar e a noite está tão fria ( feat. Zeca Afonso)

26.03.14 | marina malheiro

José Afonso - "Fui á beira do mar" do disco "Eu vou ser como a toupeira" (1972)

"  fui À beira do mar/ ver o que lá havia / (..) aproveita que é dia"

 

 

"Semeio palavras na música. Não tenho pretensões de dar a estas minhas deambulações pela música qualquer outro rótulo."

 

Zeca Afonso

 

via www.aja.pt

 

aguardando o 28 de Março para celebrar Abril e Zeca.

 

@marinamalheiro

 

 

#1112- Do bom praguejar ... ( feat. Fleetwood Mac)

25.03.14 | marina malheiro


Fleetwood Mac, Don't Stop


aguardando o "mix de medidas" ainda com Troika dentro, num país com cada vez maiores desigualdades sociais e cujas faturas eletrónicas em sorteio podem valer Audi's... urge,então, praguejar e bem. treine lendo aqui (via As minhas Leituras) sobre como bem insultar e achincalhar ( Sérgio Luís de Carvalho). sempre bom, terapêutico e pedagógico...


@marinamalheiro

# 1111- Arquitetura (feat. B. Springsteen & Muybridge)

24.03.14 | marina malheiro

 

 

 

                                                                                     Gif a partir de Foto de Muybridge ( 1887)

 

                                                                                    https://www.youtube.com/watch?v=7AZAG5m81Co

 

                                                                                    Bruce Springsteen, Tougher than the rest

 

                                                                                   o tempo galopa em nós, em  passos de dança, felizmente. mesmo com inclinações na estrutura, mantêm-se o fio de prumo e a parede-mestra, firmes. o tempo galopa em nós, o vento afaga os  teus ternos cabelos. tudo o resto é relativo e livre.

 

@marinamalheiro

#1109-Da fundo da música

21.03.14 | marina malheiro

Shostakovich - Piano Concerto No. 2: II. Andante

 

"Silêncio
Assim como do fundo da música 
brota uma nota 
que enquanto vibra cresce e se adelgaça 
até que noutra música emudece, 
brota do fundo do silêncio 
outro silêncio, aguda torre, espada, 
e sobe e cresce e nos suspende (...)"

Octávio Paz in Liberdade sob Palavra

 

 a todos os que são autênticos na construção das palavras

 

 

@marinamlheiro

#1108- Cores de silêncio

20.03.14 | marina malheiro

 

                                                                                      Klee, 1914

 

                                                                                      100 anos depois as cores de Paul Klee e no [silêncio] escutando Thunder Road

 

                                                                 "O silêncio está tão repleto de sabedoria e de espírito em potência como o mármore não                                                                                   talhado é rico em escultura."

 

                                                                                Aldous Huxley

 

                                                                                         para ti.

 

                                                                                          @marimalheiro

 

 

 

Pág. 1/3