Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

Wandering eyes

28.04.11 | marina malheiro

  

 


Foto in "Diário de Notícias", 28/04/2011

 

"Na visão que nos define como modernos , há um número infinito de pormenores. As fotografias são pormenores. Por isso, as fotografias assemelham-se à vida. Ser moderno é viver,fascinado, pela selvagem autonomia do pormenor".

 

Susan Sontag, Ao mesmo tempo, Quetzal, 2011, p.145

 

 

 

 

Wim Mertens, Wandering Eyes, Álbum Shot and Echo, 1993

 

@marinamalheiro20110428

 

 

La valse

26.04.11 | marina malheiro

 

Yann Tiersen, La valse d'amélie (todos os direitos reservados a Y.Tiersen)

 

Esvaziando a escrita e guardando os Nadas que são Tudo em dias de navegação de calma difícil.

 

@marinamalheiro20110426

 

25!

25.04.11 | marina malheiro

 

Imagens da Televisão Francesa no dia 25 de Abril de 1974

 

 

Ama Abril como se Abril fosse poema

 

nem verso era

 

nem autores tinha

 

 

Ama Abril como se Abril fosse estória sua

cantada e contada muitas vezes foi

ao embalar

ao crescer

ao ser Mulher

 

Ama Abril

pois Abril é também seu, naquele fio de liberdade

entrançado em palavras soltas, desafiadoras e sem regras

dos que o viveram

 

 

A luta persiste neste Abril novo , procurando caminho pela democracia adentro

Cravos nas mãos em liberdade e com esperança!

 

Viva o 25 de Abril!

 

 

Ao meu avô G.Malheiro, aos meus pais e a M.Afonso e J.Afonso que me ensinaram a amar a liberdade e que me  cantavam isto

 

@marinamalheiro20110425 

 

Frágil Poesia Abril 2011

22.04.11 | marina malheiro

 

 

Em noite de Frágil escutando música de João Guimarães e poesia de José Bação Leal

 

" As poesias nascem dum silêncio

ou duma conversa que temos a sós

com uma dúvida ou uma madrugada

que faz de nós que não somos nada

a própria dúvida mas concretizada.

 

Encontrei-me. Sou poeta

cantem estrelas para mim

murmurem flores os meus versos de sangue

que eu farei da noite

o mais belo gesto de oferta."

 

José Bação Leal

 

 

ainda escutando com saudade isto

 

@marinamalheiro20110422

 

 

Pág. 1/4