Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

http://jazzistica.blogs.sapo.pt

Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia

# A crise & Deolinda

22.12.11 | marina malheiro
Deolinda, Que parva que eu sou (versão oficial/ todos os direitos reservados aos Deolinda)
 
Esta canção dos Deolinda reflecte a situação actual dos portugueses, nomeadamente da geração com a vida adiada, a geração com emprego precário, a geração com " canudo" mas sem emprego para a vida. A geração à qual se pede agora com a maior arrogância para emigrar.
A palavra do ano de 2011 é para mim CRISE. Nunca fomos tão bombardeados com noções de  Economia- micro e macro.
 Nunca tivemos de aprender tanto sobre como cortar, cortar, cortar, na despesa útil e fútil, nas horas de lazer e de trabalho.
A crise foi-nos ao bolso, literalmente, este Natal. O imposto extraordinário foi medida imposta pelo Governo para encaixe directo na redução do défice que afinal se mantém nos 4,5%.
O aumento do IVA em bens essenciais, do IRS, o fim de isenções, o aumento das taxas moderadoras, o aumento dos transportes, o aumento do preço da electricidade, as portagens nas SCUTS, foram medidas impostas ao bolso dos portugueses, de todos, ou dos mesmos, da classe média que, qualquer dia, de média nada terá.
Os cortes em áreas essenciais como a Educação, a Saúde, a Segurança Social, mais do que medidas, criam um fosso  no povo português, entre os que podem pagar uma consulta no privado e os que vão ao SNS , entre os que podem pagar os estudos, os transportes e a comida dos filhos e os que terão de abrir as mãos à caridade.
Para além deste fosso económico, a reforma curricular em discussão no ME e que poderá ser implementada, acabará com disciplinas essenciais à formação dos jovens enquanto cidadãos, enquanto pessoas, formando gerações com parcos conhecimentos e mal preparadas para o mercado de trabalho.
Também o trabalhador perderá direitos adquiridos como os subsídios de Natal, de férias, e terá de trabalhar mais meia hora por dia, poderá ser despedido sem justa causa, com indemnizações de miséria.
Como se  pode aniquilar um país? ...
Vale a pena ver o filme Inside Job,( a verdade sobre a Crise), sobre a manipulação dos mercados, sobre a ambição dos homens , sobre o Poder...´
 
Aos portugueses
 
Aos meus pais  e a todos os que acreditaram em Abril
 
Aos meus sobrinhos , A. Carreiras e M.Carreiras
 
Aos meus colegas e amigos
 
Ao meu filho, M.Roldão
 
 
 
@mmalheiro