http://jazzistica.blogs.sapo.pt
Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia
27 de Abril de 2016

13082570_1018539994901726_3179260036223203507_n.jp

 # uma janela para respirar. in Faculdade de Letras de Lisboa. Foto MMalheiro. 27/04/2016.#

[ das  boas saudades da vida académica] escute o sempre magnífico respirar "musical" de Rodrigo Leão ( in o Retiro, Rodrigo Leão e Orquestra Gulbenkian, 2015- direitos reservados a Rodrigo Leão)

aos meus colegas e amigos da FCSH.

@mmalheiro

 

 

publicado por marina malheiro às 21:41 link do post
02 de Novembro de 2015

Há dias em que as palavras são inclassificáveis. 

Por isso, é melhor o silêncio diante da calamidade, fruto da natureza e da incúria humana.

bafcf84aa5872a1243cd3ab60d31a04e.jpg

                     em art42.tumblr.com

Escute aqui - via Spotfy- o belíssimo novo álbum de Rodrigo Leão ( O retiro) em conjunto com a Orquestra e Coro Gulbenkian. ( todos os direitos reservados a Rodrigo Leão)

@mmalheiro

 

publicado por marina malheiro às 22:18 link do post
27 de Agosto de 2015

                       

                     

d6d942540b5c8534cf475df23a21ccca.jpg

 em b-eastl-y.tumblr.com

era uma vez um tempo de vinho novo onde só tu, tão terno e frágil, importavas.

https://www.youtube.com/watch?v=yLxmT0E6QeA&hd=1 Hapiness, Rodrigo Leão ( todos os direitos reservados a Rodrigo Leão)

@mmalheiro

 

 

 

 

publicado por marina malheiro às 23:56 link do post
13 de Maio de 2014



Banda Sonora ( Rodrigo Leão)do excelente documentário "Portugal , um retrato social" (A. Barreto) 


Títulos como este não se podem gostar .  Urge questionar a Justiça destas sentenças e ler com atenção o Código Civil, a bem das crianças e jovens.


@marinamalheiro





publicado por marina malheiro às 01:14 link do post
27 de Abril de 2014





o ritmo surge descompassado ; os olhos vêem e o coração sente-se apressado.

 é frenético e involuntário, o ritmo. no silêncio da pausa há momentos com música dentro como o de  hoje, ao escutar as músicas de Rodrigo Leão junto à AR.




Vida tão estranha, Rodrigo Leão ( 2009) ( todos os direitos reservados a Rodrigo Leão)



@marinamalheiro


publicado por marina malheiro às 03:08 link do post
16 de Outubro de 2013

Rodrigo Leão, Memórias(6) in Cinema ( todos os direitos reservados a Rodrigo Leão)
saudades de escutar as palavras de uma grande escritora, em dia de aniversário (15/10)
"Há pequenas impressões finas como um cabelo e que, uma vez desfeitas na nossa mente, não sabemos aonde elas nos podem levar. Hibernam, por assim dizer, nalgum circuito da memória e um dia saltam para fora, como se acabassem de ser recebidos. Só que, por efeito desse período de gestação profunda, alimentada ao calor do sangue e das aquisições da experiência temperada de cálcio e de ferro e de nitratos, elas aparecem já no estado adulto e prontas a procriar. Porque as memórias procriam como se fossem pessoas vivas. "

Agustina Bessa-Luís in "Antes do Degelo" in www.citador.pt


a todos os que gostam destas "memórias vivas" 


@marinamalheiro
publicado por marina malheiro às 00:00 link do post
sinto-me:
25 de Setembro de 2013

 

Anéis de Saturno através da Cassini ( 15/06/2013) 

 

Todos os direitos reservados a NASA

 

 

"A noite chega com todos os seus rebanhos

(...)
Há um íman que nos atrai para o interior da montanha. 
(...). 


O último pássaro calou-se.As estrelas acenderam-se. 
(...)
Alguém me habita como uma árvore ou um planeta. 
Estou perto e estou longe no coração do mundo. "

de A Rosa Esquerda(1991) - poema "cortado" do original  do Mestre  Ramos Rosa



                                                                 The Long Run - Rodrigo Leão feat. Joan As Police Woman

 

aos que amam a vida


@marinamalheiro

publicado por marina malheiro às 00:19 link do post
23 de Setembro de 2013

 

 

"Não desisti de habitar a arca azul
do antiquíssimo sossego do universo. 
A minha ascendência é o sol e uma montanha verde
e a lisa ondulação do mar unânime. 
Há novecentas mil nebulosas espirais 
mas só o teu corpo é um arbusto que sangra
e tem lábios eléctricos e perfuma as paredes.
Aos confins tranquilos entre ilhas mar e montes
vou buscar o veludo e o ouro da nostalgia.
Deponho a minha cabeça frágil sobre as mãos
de uma mulher de onde a chuva jorra pelos poros.
Ó nascente clara e mais ardente do que o sangue,
sorvo o cálice do teu sexo de orquídea incandescente!
A minha vida é uma lenta pulsação
sob o grande vinho da sombra, sob o sono do sol.
Há bois lentos e profundos no meu corpo
de um outono compacto e negro como um século.
Com simultâneas estrelas nas têmporas e nas mãos
a deusa da noite, sonâmbula, desliza.
Ao rumor da folhagem e da areia
escrevo o teu odor de sangue, a tua livre arquitectura.
Prisioneiro de longínquas raízes
ergo sobre a minha ferida uma torre vertical.
Vislumbro uma luz incompreensível
sobre os campos áridos das semanas.
Elevo o canto profundo do meu corpo
sob o arco das tuas pernas deslumbrantes.
Escrevo como se escrevesse com os meus pulmões
ou como se tocasse os teus joelhos planetários
ou adormecesse languidamente no teu sexo."


António Ramos Rosa, in Três (1975)


Ao magnífico poeta , Mestre Ramos Rosa, que hoje partiu quem sabe para a "arca azul".


Muito lhe temos a agradecer, pelas palavras que transcendem tudo e são reflexos sublimes do Belo.



http://www.youtube.com/watch?v=OC1QnMly9hM


Rodrigo Leão & Vox Ensemble ( 1939)


" a minha vida é uma lenta pulsação  


sob o grande vinho da sombra"


@marinamalheiro


publicado por marina malheiro às 20:15 link do post
19 de Setembro de 2013

Às vezes são as palavras que vêm ter connosco. As palavras oportunas de outros como as de Bernardo Soares e que espelham a realidade de talvez 2 milhões (?) de portugueses que se encontram sem trabalho, com vidas precárias,adiadas, em virtude da crise económica.

 

"Encaro serenamente , sem mais nada que o que na alma represente um sorriso, o fechar-se-me sempre a vida nesta Rua dos Douradores, neste escritório, nesta atmosfera desta gente. Ter o que me dê para comer e beber, e onde habite, e o pouco espaço livre no tempo para sonhar, escrever- dormir- que mais posso eu pedir aos Deuses ou esperar do Destino."

                                                                               

                                                                                  18 in O Livro do Desassossego de Bernardo Soares


O magnifico Rodrigo Leão ao vivo
Histórias / todos os direitos reservados a Rodrigo Leão

                                                                      a Fernando Pessoa com tantos reflexos magníficos do mesmo "eu"



                                                                                             @marinamalheiro


                                                                                       

publicado por marina malheiro às 21:37 link do post
02 de Dezembro de 2012



Rodrigo Leão e Vox Ensemble, 1939



@marinamalheiro



publicado por marina malheiro às 02:34 link do post
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Mensagens
Tracker
sitemeter
Sitemeter
Wook
Wook
Pensa num Número - www.wook.pt
Facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ainda estou em choque com tamanha tragédia!Os rela...
Melhor que a música, a companhia...
Obrigada pelo teu comentário. Para quem gosta de c...
Pois... não é por snobismo que moro onde moro,é me...
Caro ZT,obrigada pela referência. :)Saudações jazz...
Lembra Black Moth Super Rainbow.Inebriante.
Feel free to blush
Ai que ruborizo :)
Adorei caro Fio de Beque. Obrigada pela partilha. ...
Era esta :D https://youtu.be/XviMAXKvewM
blogs SAPO