http://jazzistica.blogs.sapo.pt
Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia
23 de Fevereiro de 2016

16327217219f2985253a74fe25ecf416.jpg

via Pinterest.

https://www.youtube.com/watch?v=DrU-3FCB5Sk Zeca Afonso, Quanto é doce ( todos os direitos reservados a herdeiros de Zeca Afonso)

no dia em que foi aprovado o OE2016, pense-se também nas crianças, nos filhos dos professores, muitos deslocados do seu local de residência, outros a lecionar em contra-horário ao dos filhos.

Uma medida social importante - a da criação de creches ou locais de apoio com turnos, como os que existem nas creches noturnas, (algumas que existem pelo país) para os filhos dos professores.

@mmalheiro

[às crianças ]

 

 

publicado por marina malheiro às 22:12 link do post
08 de Fevereiro de 2015

MGV,  5 º movimento, NYMAN, 1993 ( ALL RIGHTS RESERVED TO THE MUSICIAN M NYMAN)

a velocidade, o tempo, as horas. sorver os minutos, a cadência da luz do dia,

os teus sorrisos e beijos ternos,

as tuas maternais delicadezas,

a pureza dos olhares que se encontram no intervalo das tristezas, em alegria.

rapidez intensa no abraço,

congelando o momento,

carpe diem permanente,

5º movimento em contínuo.

apesar das fráguas persiste o movimento,  composição em grande velocidade...

pó de esperança.

 

@marinamalheiro

a ML.Malheiro e a M.Roldão

 

publicado por marina malheiro às 22:22 link do post
04 de Maio de 2014



Tame Impala, Keep on Lying 


no dia das Saídas limpas...sem cautelar .


@marinamalheiro


à minha mãe, MLMalheiro, que me ensina todos os dias a viver  em Verdade






publicado por marina malheiro às 20:17 link do post
25 de Fevereiro de 2014

 

                                                     Via Pinterest - Maria José Teixeira

 

 

                                                    

Mayra Andrade , Júlio Pereira em excelente versão - em homenagem a Zeca Afonso-  as sete mulheres do Minho
"mulheres de grande valor/ armadas de fuso e roca/ correram com o regedor"
 às mulheres com sangue minhoto 
@marinamalheiro
publicado por marina malheiro às 00:40 link do post
21 de Novembro de 2013

 

capa da revista Modas e Bordados, anos 50

 

"Cada árvore é um ser para ser em nós
Para ver uma árvore não basta vê-la
A árvore é uma lenta reverência
uma presença reminiscente
uma habitação perdida
e encontrada
À sombra de uma árvore
o tempo já não é o tempo
mas a magia de um instante que começa sem fim (...)"


António Ramos Rosa


http://www.youtube.com/watch?v=KHrSX1xX2oY

 

Nat King Cole, It's only a paper moon ( versão muito jazzy)

 

à minha mãe, árvore única na minha vida, com muito ritmo jazzy e escrita antiga sempre perene ( em dia de aniversário)


@marinamalheiro

publicado por marina malheiro às 00:00 link do post
23 de Maio de 2013

 

 

Foto de uma das edições de 1955 da revista "Modas e Bordados" fundada por Maria Lamas

 

para ti que aqui escreveste muito.

 

http://www.youtube.com/watch?v=mMYIuUe0BGw

 

 

 

Sigur Rós, Varðeldur



@marinamalheiro





publicado por marina malheiro às 23:31 link do post
26 de Junho de 2012

Filipa Pais, Fado Triste
 
"Em todas as lágrimas há uma esperança."
 
 
Simone de Beauvoir
 
 

                                                                                                para ti

 

 

publicado por marina malheiro às 00:06 link do post
06 de Maio de 2012

 

Foto Marina Malheiro/ Todos os direitos reservados / Dezembro 2011/ Lisboa ao Entardecer

 

junto ao Tejo és canoa

vogando calma por sobre as ondas revoltas

vogando forte enfrentando os ventos

 

junto ao Tejo és gaivota

livre pelos tempos fora

com Abril sempre em ti

 

junto ao Tejo és poema

connosco

verso fecundo e único

onda pequena e suave

nas nossas mãos

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=R__QS0BLnxE&feature=related (Carlos do Carmo) (todos os direitos reservados a Carlos do Carmo)

à minha mãe

ao meu filho

 

@marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 10:53 link do post
17 de Novembro de 2011

 

Foto Robert Doisneau

 

" (...) sobre os dias e anos da minha infância, que a minha única personagem inesquecível foi a chuva - a grande chuva austral que cai como uma catarata desde o Pólo, dos céus do Cabo Horne, até à fronteira. Nesta fronteira, o Far West da minha pátria, nasci para a vida, para a terra, para a poesia e a chuva."

Pablo Neruda in Confesso que vivi

 

 

Carlos Gardel, Mi buenos Aires querido

 

A Neruda que "levantou a chuva" ( " tudo vem cair às mãos que levanto/ no meio da chuva").

Para ti que abraças a chuva todos os dias, sem medo

 

@mmalheiro

publicado por marina malheiro às 22:49 link do post
30 de Setembro de 2011

Fontella Bass, Rescue Me, 1965
 
Dança poética
 
as palavras trazes em ti
puras e tenras
fortes como raízes de árvore centenária
 
és sol e vento
na calma dos dias
cinzentos para muitos
sempre azuis em ti
 
as palavras trazes
simples como folhas outonais
 
a luta escreve-se na tua alma
no teu corpo
és estafeta solitária
na tua corrida
 
os teus passos curtos e sempre livres
são dança  repetida e eterna.
 
 
@mmalheiro
 
A M.Roldão e a MLMalheiro
 
publicado por marina malheiro às 00:48 link do post
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
subscrever feeds
Mensagens
Tracker
sitemeter
Sitemeter
Wook
Wook
Pensa num Número - www.wook.pt
Facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ainda estou em choque com tamanha tragédia!Os rela...
Melhor que a música, a companhia...
Obrigada pelo teu comentário. Para quem gosta de c...
Pois... não é por snobismo que moro onde moro,é me...
Caro ZT,obrigada pela referência. :)Saudações jazz...
Lembra Black Moth Super Rainbow.Inebriante.
Feel free to blush
Ai que ruborizo :)
Adorei caro Fio de Beque. Obrigada pela partilha. ...
Era esta :D https://youtu.be/XviMAXKvewM
blogs SAPO