http://jazzistica.blogs.sapo.pt
Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia
04 de Março de 2017

f46cb0d8bc58285eabbbbf4f22727469 (1).jpg

                                         Helena Almeida, Desenho Habitado, 1975 ( todos os direitos reservados a Helena Almeida)

[ em dias de ética ou da sua grave ausência nos castelos do poder económico e político em terras lusitanas, urge talvez refletir sobre o que Peter Singer escreveu : " Temos de restaurar a ideia de viver uma vida ética como uma alternativa realista e viável ao predomínio actual do interesse próprio materialista."]

Música. Canto de Ossanha in A Bossa Nova é Nossa, 2017, vários artistas ( direitos reservados a Universal Music Ltda)

@mmalheiro

publicado por marina malheiro às 08:38 link do post
01 de Janeiro de 2017

Antigo anúncio do Ministério da Economia ( long time ago...)1ee0d08681196fc0f3698a118d38cf3e.jpg                                         Uma resolução para 2017 que todos os portugueses devem tomar é levar os dias da economia portuguesa com Humor.

                                         Escute aqui um Fado especial - votos de um excelente 2017 para todos os que seguem o Jazzística.! ( todos os direitos reservados a Rouxinol Faduncho)

                                         @mmalheiro

 

 

publicado por marina malheiro às 21:59 link do post
20 de Julho de 2016

3619183dff1b94407a2479b9b7a3b375.jpg

                                 Nova Iorque, 1965

                                 Guardar as palavras de Thoreau (1854) no momento em que a Europa está numa vertigem financeira, em que em águas turcas se prendem, despedem ou suspendem professores, militares e juízes numa clara ascensão de um -ismo que não se deseja, e alheios a tudo isto, uns "nerds" perseguem Pokémons virtuais pelas ruas.:

"  (...) Há-de deixar para trás uma porção de coisas e atravessar uma fronteira invisível; leis novas, universais e mais abertas começarão por se estabelecer em redor e dentro dela(...) Se construistes castelos no ar, não terá sido em vão esse vosso trabalho; porque eles estão onde deviam estar. Agora, por baixo, colocai os alicerces.". in Walden, p. 351

@mmalheiro

música- Pearl Jam ( all rights reserved to Pearl Jam)

 

publicado por marina malheiro às 20:32 link do post
25 de Junho de 2016

                                                    Um dia depois do "Brexit" ter vencido o referendo que levará à saída do Reino Unido da União Europeia, pergunto-me como todas as pessoas numa sala de cinema- mas onde é a saída?

Uma coisa é certa, os ingleses mostraram aos europeus o uso pleno do direito participativo e democrático.

A União Europeia terá de jogar melhor e de forma mais coesa, sem perda da autonomia política e financeira dos países.

Muitos territórios não independentes como a Escócia e outros aproveitarão este "EXIT" para, como num jogo de dominó, fazerem a sua "SAÍDA" ,airosa ou não, tornando-se independentes.

Leia aqui a opinião do economista Jeremy Cook, mesmo indo a banhos em dia de jogo, escutando uns dos melhores "brits" de sempre, os Rolling Stones. ( all rights reserved to The Rolling Stones)

210a795b2b2d760ac2dd665a1d935dec.jpg

 I circuito do Campo Grande, disputado em 28 de Junho de 1931. Estúdio Horácio Novais

via Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

@mmalheiro

publicado por marina malheiro às 09:33 link do post
06 de Janeiro de 2016

 

[Foto -eBlack and White My favorite photo Studió Parrucchieri Lory - Via Cinzano 10, Torino,Italy ( all rights reserved to Studio Parruchierri Lory)]

às vezes sente-se que este é um país de um salto em comprimento curto, que não chega às finais e é eliminado porque pisa o risco, aquando o salto.

surrealmente,  é assunto importante o piropo ou galanteio quando a Lei aprovada é muito mais abrangente e relevante ou é absolutamente importante um jogo de futebol entre 2 grandes.

há muito mais a trabalhar para que haja um salto em comprimento olímpico, notável, na Economia e, consequentemente, na sociedade portuguesa;um treino a todos os níveis para que não se fique aquém  do meio da tabela.

isso passa também pela Cultura, não apenas a cultura de massas absolutamente formatada e estupidificante mas também por algo essencial que nos leva a lutar por objetivos,  pela capacidade de sonhar e de quebrar a parametrização: um salto em comprimento pessoal e profissional;

tentar Ser mais do que bom, mais do que suficiente, ser-se muito bom ou excelente como pessoa- "saltando em conjunto" com os outros, sem egos. Isso é o que importa.

" Pelo sonho é que vamos"- Sebastião da Gama

escute para o treino do seu salto em comprimento https://www.youtube.com/watch?v=u4-PGjwdARg Arcade Fire, No cars go, 2014 ( all rights reserved)

@mmalheiro

 

fcc70486a3f0f9bf128e7c052e904e5a.jpg

 

publicado por marina malheiro às 19:05 link do post
10 de Dezembro de 2015

6820f4953270e3c87c2c29326b837b0b.jpg

 

                                                         Via Pinterest

                          No dia em que se anunciam medidas adicionais de restrição orçamental  para manter o défice abaixo dos 3%, o que não é surpreendente, noticia-se a rescisão voluntária de mais trabalhadores de um jornal ( Público) e a situação desesperante de professores do ensino artístico com salários em atraso.

Haverá muito a fazer para que um país sobreviva à "tona de água" e não dependa novamente de assistência financeira internacional. Muito a restringir novamente. Esperemos que em despesa do Estado e não em despesa que afete os trabalhadores e o seu "pão".

O encerramento de jornais e despedimento de trabalhadores é , por um lado, em resultado da crise económica ( com a diminuição do número de vendas e talvez de publicidade) e por outro, em resultado do uso das redes sociais e da Internet para ter acesso aos jornais. Novamente a Cultura poderá ser ativa, dado que milhares de jovens portugueses, com o incentivo certo, poderão aprender a gostar de ler jornais, em papel, e outros públicos- alvo, a bem da liberdade de imprensa, da liberdade de opinião.

Muito a fazer, a redirecionar, para que o país reverta a situação económica e mantenha, firmes, ideias de dinamização económica e sempre, ideias de democracia, na palma da mão. ( todos os direitos reservados a Jorge Palma, in Uma viagem na palma da mão, 1975)

@mmalheiro

 

publicado por marina malheiro às 21:07 link do post
05 de Dezembro de 2015

                                                                 Há sempre alguém

                                                                 que espera

                                                                 um abraço

                                                                 um beijo

                                                                 uma ternura

                                                            fora do tempo,

                                                            fora do compasso,

                                                            sem música,

                                                            em superavit.

                                                              Há sempre alguém 

                                                            que espera

                                                            uma palavra

                                                            uma esperança

                                                            um afago no cabelo,

                                                            Há sempre alguém que espera,

                                                            um trabalho,

                                                            pão,

                                                            educação,

                                                            a dotação orçamental.

                                                            Há sempre alguém que espera

                                                            alguém,

                                                            amigo,

                                                            amante,

                                                            trabalhador/ empregador.

                                                            Há sempre alguém que, em silêncio, espera

                                                            tudo isto,

                                                            espera mais do que isto,

                                                            não espera menos do que isto,

                                                            de um país,

                                                            e, no fundo, espera ser mais do que número

                                                            cidadão,

                                                            contribuinte,

                                                            eleitor,

                                                            social,

                                                            mais do que déficit .

                                                            espera, espera, espera, na sala com outros que esperam e desesperam.

                                                            Há sempre alguém que,

                                                            em silêncio,

                                                            espera.

                                                            [ aos que esperam Portugal renascido].

https://www.youtube.com/watch?v=SHnK6pFm8Fs&hd=1 Pop Dell'arte, 2010 ( todos os direitos reservados aos Pop Dell'arte)

@mmalheiro

                                                            

publicado por marina malheiro às 02:23 link do post
30 de Novembro de 2015

 

 

22a8c68a86b5dd2e29b9aa5c687c6026.jpg

                                        

Estúdio Horácio Novais - Ardina, Lisboa, Portugal, 1930-1980 [Street vendor of newspapers, Lisbon, Portugal, 1930-1980] From Biblioteca de Arte / Art Library Fundação Calouste Gulbenkian ( via Pinterest).

 

Há poucos anos ergueu-se ,numa zona antiga de fábricas em Alcântara, um espaço que revitalizou postos de trabalho e edifícios.

Mantém-se esse espaço como zona comercial alternativa.

Num desses edifícios onde outrora era impresso o Totobola, e outros jogos, e o jornal "Público" ( inicialmente), funcionou a Mirandela.

Hoje é a Ler Devagar. No topo do edifício lá está a máquina gigante que imprimia sortes de outros e caixas altas e baixas de um jornal em início de vida.

No dia em que me relatavam mais uma vez a história da escola Afonso Domingues que foi extinta por ordem superior e cujo edifício se degrada cada vez mais,  e levou à extinção dos postos de trabalho dos docentes que aí trabalhavam e tiveram de ser reintegrados noutras escolas, leio que 2 jornais vão extinguir postos de trabalho ou mesmo encerrar.

Lembro-me, então, dos saudosos "Diário de Lisboa" e "Diário Popular" que também fecharam portas.

Educação e Cultura podem convergir-  há milhares de jovens leitores à espera de "caixas altas" e "baixas"ou "breves", de muita leitura e escrita prática.

Se neste momento se pensa em implementar a divulgação / educação da CRP nas Escolas, numa prática excelente da chamada "Educação para a Democracia" , também se pode educar para a Cultura .

Reverta-se, deste modo, o lento encerrar do país.

@mmalheiro

 

 

 

 

publicado por marina malheiro às 18:11 link do post
13 de Julho de 2015

f3a08cd9c9d3c6b9a7dfec0371e4dd7e.jpg

 

                                                     New Shoes, Voula Papaioannou (1898-1990)

                                                     no dia em que a Grécia e os países do Eurogrupo chegaram a acordo , após muitas horas de negociações. 3º resgate e a que preço pelos "novos sapatos "para continuar a dança

                                                      @marinamalheiro

                                                        

publicado por marina malheiro às 18:51 link do post
27 de Maio de 2015

953efee08a1c6aa172a4a30f7dc42f99.jpg

 Henri CARTIER-BRESSON :: Bankers Trust Company - New York, 1960

Há um país que precisa de monda, de uma boa monda para arrancar as ervas daninhas que grassam por todos os lados. Uma limpeza a fundo em todas as áreas estratégicas do país para que o terreno possa ser novamente cultivado com boas sementes e resultado verdadeiramente produtivo. 

Também a vida de cada um pode ser mondada para que o "espaço" esteja/ seja limpo (Walden). Mas, enfim, isso são outras matérias cultiváveis e individuais...

A música é sempre um bom instrumento de lavoura :)

@marinamalheiro

publicado por marina malheiro às 20:44 link do post
Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Mensagens
Tracker
Posts mais comentados
sitemeter
Sitemeter
Wook
Wook
Pensa num Número - www.wook.pt
Facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ainda estou em choque com tamanha tragédia!Os rela...
Melhor que a música, a companhia...
Obrigada pelo teu comentário. Para quem gosta de c...
Pois... não é por snobismo que moro onde moro,é me...
Caro ZT,obrigada pela referência. :)Saudações jazz...
Lembra Black Moth Super Rainbow.Inebriante.
Feel free to blush
Ai que ruborizo :)
Adorei caro Fio de Beque. Obrigada pela partilha. ...
Era esta :D https://youtu.be/XviMAXKvewM
blogs SAPO