http://jazzistica.blogs.sapo.pt
Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia
01 de Fevereiro de 2014

 

 

                                                     Largo de S. Carlos , junto à casa onde nasceu Fernando Pessoa ( 1/02/2014) Foto Marina Malheiro ( todos                                                     os  direitos reservados)

 

                                                    Foto tirada hoje no âmbito da Visita guiada gratuita "A Lisboa de Fernando Pessoa" organizada                                                                         pelo projeto   da  Oui Go Lisbon que poderá seguir e gostar aqui  para estar a par de outras visitas futuras.

                                                     

                                                                                                   

                                                    " (...) Achego-me à minha secretária como a um baluarte contra a vida. Tenho ternura, ternura até                                                   às   lágrimas , pelos meus livros em que escrituro, pelo tinteiro velho de que me sirvo, pelas costas dobradas do  Sérgio , que faz guias de remessa um pouco mais de mim. (...)".

 

                                                    Bernardo Soares, 7, in O Livro do Desassossego

 

 

                                                      À Andreia Salvado, mentora do projeto, que ama Lisboa e segue os passos de Pessoa

 

                                                     @marinamalheiro

 

 

                                                  

 

 

publicado por marina malheiro às 20:19 link do post
17 de Dezembro de 2013

 

                                                                                       

                                                                                       Hans Hoffman

 

                                           Desafia o Sapo. Blogs sobre os Livros marcantes em 2013.

São livros antigos os de um ano,mais de escutas, do que de leituras novas. Marcantes livros antigos com histórias sempre perenes. Se calhar quando os relemos são novos? Ou haverá uma nova leitura consoante o peso dos anos ou da vida em nós? Por isso, eterno o Desassossego de Bernardo Soares, que me levou a pensar que músicas ouviria talvez o mais pessoano dos heterónimos, e que a sua filosofia de vida é, de facto, intemporal. Viveremos em desassossego permanente?

E os olhos retornam a Barro de Rui Nunes, sempre, pois somos construção ou (re) construção continuada :"O mundo começava com uma chegada , que era uma partida. Com uma viagem. É ali: lugar a que mais tarde viria a dar um nome."

Relê-se também um escritor com uma mestria  limpa, magnífica:Hemingway ( Paris é uma festa) para aprender a moldar as palavras como barro, dançar e amar a vida.

 

 

 

                                                                                                       @marinamalheiro

 

                                            " (...) Ah, compreendo! O patrão Vasques é a Vida. A Vida, monótona e necessária, mandante e desconhecida. Este homem banal representa a banalidade da Vida. Ele é tudo para mim, por fora, porque a Vida é tudo para mim por fora"

                                                                            9, in o Livro do Desassossego, Bernardo Soares

 

 

 

 

publicado por marina malheiro às 23:53 link do post
23 de Outubro de 2013

Leia aqui o meu último texto sobre Bernardo Soares e a música, em 2013, na revista Obvious Online, (Lounge), se quiser.

 

" (...) Façamos da nossa falência uma vitória, uma coisa positiva e erguida, com colunas, majestade e aquiescência espiritual."

 

in 307, "Estética do Desalento", O Livro do Desassossego.

 

música extra: talvez B.Soares a escutasse ;) http://www.youtube.com/watch?v=qT4_BQFbCQQ&list=RD02wQ3GxsTaGE0 Morrissey, Girlfriend in a coma

 

@marinamalheiro

publicado por marina malheiro às 00:00 link do post
30 de Setembro de 2013

 

http://www.youtube.com/watch?v=FriJPeiYjY8

 

Neil Young, Harvest Moon

 

" ... Passámos a ser criaturas vestidas, de corpo e alma"

 

Bernardo Soares, 457 in O Livro do Desassossego

 

 

@marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 20:57 link do post
19 de Setembro de 2013

Às vezes são as palavras que vêm ter connosco. As palavras oportunas de outros como as de Bernardo Soares e que espelham a realidade de talvez 2 milhões (?) de portugueses que se encontram sem trabalho, com vidas precárias,adiadas, em virtude da crise económica.

 

"Encaro serenamente , sem mais nada que o que na alma represente um sorriso, o fechar-se-me sempre a vida nesta Rua dos Douradores, neste escritório, nesta atmosfera desta gente. Ter o que me dê para comer e beber, e onde habite, e o pouco espaço livre no tempo para sonhar, escrever- dormir- que mais posso eu pedir aos Deuses ou esperar do Destino."

                                                                               

                                                                                  18 in O Livro do Desassossego de Bernardo Soares


O magnifico Rodrigo Leão ao vivo
Histórias / todos os direitos reservados a Rodrigo Leão

                                                                      a Fernando Pessoa com tantos reflexos magníficos do mesmo "eu"



                                                                                             @marinamalheiro


                                                                                       

publicado por marina malheiro às 21:37 link do post
18 de Setembro de 2013



Sunlight Cardigan, pelos Pond ( todos os direitos reservados aos Pond)


" A maioria dos homens vive com espontaneidade uma vida fictícia e alheia (...)

Uns gastam a vida na busca de qualquer coisa que não querem; outros  empregam-se na busca do que querem e não lhes serve, outros ainda, perdem-se.

Mas a maioria é feliz e goza a vida sem isso valer. 

O pessimismo tem pouca viabilidade com fórmula democrática. (...)".


278 in O Livro do Desassossego , Bernardo Soares


em dias de espera de um provável 2º resgate a Portugal qual será a fórmula democrática?


@marinamalheiro



publicado por marina malheiro às 20:28 link do post
28 de Junho de 2013

Perder tempo comporta uma estética. Há, para os subtis nas sensações, um formulário de inércia que inclui receitas para todas as formas de lucidez.


Bernardo Soares



Jason Pollock


( todos os direitos reservados)


@marinamalheiro


http://www.youtube.com/watch?v=9ptM0B4tcWM Hopeless Wonderer

publicado por marina malheiro às 21:51 link do post
17 de Junho de 2013

" A oportunidade é como o dinheiro que, aliás, não é mais que uma oportunidade. Para quem age, a oportunidade é um episódio da vontade, e a vontade não me interessa. Para quem, como eu, não age, a oportunidade é o canto da falta de sereias. Tem que ser desprezado com volúpia, arrumado alto  para nenhum uso.

Ter ocasião de... Nesse campo se disporá a estátua da renúncia. (...)"

 

in "321", O Livro do Desassossego de Bernardo Soares



http://www.youtube.com/watch?v=hVVUQAi6rkk&feature=share


Frond, pelos Pond (2011) in Frond Band Pond



hoje foi o Dia


aos milhares de professores portugueses


@marinamalheiro


publicado por marina malheiro às 20:08 link do post
14 de Janeiro de 2013

 

http://www.youtube.com/watch?v=O0OWmUyhBR0 Sinfonia Shankar com London Simphony Orchestra ( 2010)

 

"Um homem pode, se tiver a verdadeira sabedoria, gozar o espectáculo inteiro do mundo numa cadeira, sem saber ler, sem falar com alguém, só com o uso dos sentidos e a alma não saber ser triste."


Bernardo Soares in O Livro do Desassossego


@marinamalheiro

publicado por marina malheiro às 14:16 link do post
24 de Outubro de 2011

 

All things must pass, The Beatles, Anthology 3, 1996

 

"(..)Não quero mais da vida do que senti-la a perder-se nestas tardes imprevistas, ao som de crianças alheias que brincam nestes jardins engradados pela melancolia das ruas que os cercam, e copados, para além dos ramos altos das árvores, pelo céu velho onde as estrelas recomeçam."

Bernardo Soares in O Livro do Desassossego, Ática, 1982,p.186

 

@mmalheiro

 

a M.R.

publicado por marina malheiro às 22:31 link do post
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Mensagens
Tracker
sitemeter
Sitemeter
Wook
Wook
Pensa num Número - www.wook.pt
Facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ainda estou em choque com tamanha tragédia!Os rela...
Melhor que a música, a companhia...
Obrigada pelo teu comentário. Para quem gosta de c...
Pois... não é por snobismo que moro onde moro,é me...
Caro ZT,obrigada pela referência. :)Saudações jazz...
Lembra Black Moth Super Rainbow.Inebriante.
Feel free to blush
Ai que ruborizo :)
Adorei caro Fio de Beque. Obrigada pela partilha. ...
Era esta :D https://youtu.be/XviMAXKvewM
blogs SAPO