http://jazzistica.blogs.sapo.pt
Blog de poesia , música e olhares de Marina Malheiro, aprendiz de poesia
30 de Abril de 2015

                        Mista President, The SoulJazz Orchestra, álbum "Freedom no go die". 

                         Ouvir os excelentes SoulJazz Orchestra no aproximar dos dias de maio com candidatos presidenciais e com disputas laborais na companhia aérea onde voamos em português, em dia mundial do Jazz. É preciso muito "ska" para o que aí vem...

                           @marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 19:41 link do post
29 de Abril de 2015

17922ed84a031ba4815a29ff2fec0204.jpg

 Ann Reinking in All that Jazz (1979)

No dia internacional da Dança -  para todos como eu que adoram dançar (em todo o lado!).

"To be on a wire is life, the rest is waiting"] All That Jazz (1979)

@marinamalheiro

 

 

publicado por marina malheiro às 19:35 link do post
sinto-me:
28 de Abril de 2015

Zeed, Addicted to a memory, 2015 (all rights reserved to Zeed)

excelente esta batida para dançar, correr e até rodar na cadeira do escritório na pausa :) sem plié e esticou , livremente.

[ todos os dias aprendemos. que bom.!]

@marinamalheiro

@marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 18:10 link do post
27 de Abril de 2015

                        Simphony Nº 3, Joly Braga Santos ( todos os direitos reservados)

                        magnífica sinfonia dedicada a Luís de Freitas Branco

                        [A música é , de facto, uma benção  e uma aprendizagem para a alma. Tudo relativo.]

                         @marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 21:24 link do post
26 de Abril de 2015

Ontem, em mais um 25 de abril, caminhando em conjunto com milhares pela avenida da Liberdade e com tantos (!) de cravo na mão, foi dia de esperança num Portugal melhor mas também dia de relembrar o passado, o passado do Medo.

O magnífico documentário de Marta Pessoa (O Medo à espreita), exibido ontem no festival IndieLisboa, constitui um documento histórico "vivo" para todas as gerações, as que viveram acossadas com Medo e as que não têm a noção do que é o Medo e a Opressão; a ausência total da Liberdade na sua asseção total do significado na vida diária.

Em conjunto com outros documentários que serão exibidos na RTP por estes dias, este documentário belíssimo consegue ,através de um contraste entre o negro da imagem , a iluminação dos protagonistas

( vítimas da PIDE e lutadores anti-fascistas) e  o congelar das fotografias de arquivo de um Portugal de há mais de 40 anos atrás, um "luar" como o de Stau Monteiro. Um "Acordai" como o de Fernando Lopes-Graça.

Mas, são sobretudo as palavras ditas  e escutadas ( registos da PIDE) e a coragem destes homens e mulheres, que nos fazem pensar como é que isto pôde acontecer e como jamais se deverá repetir.

A sede de Poder é alimento para os Homens e para o consequente domínio dos outros, como animais .

Tal atenta contra os direitos e valores mais fundamentais dos seres humanos e sobre aquilo a que se chama Democracia.

Pela Liberdade deixo a fantástica Sinfonia  para Orquestra (1944) do grande Fernando Lopes-Graça , sem medo.

@MarinaMalheiro

 

publicado por marina malheiro às 12:43 link do post
25 de Abril de 2015

PT_revolução-dos-cravos.jpg

 

Viva o 25 de abril, sempre!!

Recordando o magnífico compositor Fernando Lopes- Graça com o seu Canto do Livre e com o Requiem pelas vítimas do Fascismo.

"Liberdade é o mote escrito
No céu, na terra e no mar!
Di-lo a fera no seu grito
Di-lo a fera no seu grito
E as aves cruzando o ar,
Di-lo o vento da procela,
A vaga que se encapela
E nos espaços a estrela
E nos espaços a estrela
Em seu contínuo girar. (...) Soares de Passos

aos meus pais que viveram Abril

@marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 11:28 link do post
sinto-me:
24 de Abril de 2015

Beirut, Santa Fé, ao vivo , 2015 ( todos os direitos reservados aos Beirut)

nunca fiz escalada, embora tenha subido a Serra na minha terra de adopção. um dia farei.

todos os dias colocamos um pé atrás do outro e subimos montanhas infinitas ,construídas por outros e que atrapalham a sustentabilidade.

não há base de suporte. somos nós que a temos de escavar na montanha e reinventar o caminho.

[um processo contínuo ]

um dia, sem cordas e sem apoios, com uma vontade quase de "Blimunda", deixando cair pedras no infinito, alcançamos o topo da Serra, agradecendo.

@marinamalheiro

 

publicado por marina malheiro às 18:01 link do post
23 de Abril de 2015

Na era do digital em que é possível ditar textos e sairem assim direitinhos no écran, por meio de uma funcionalidade voice-over, e lê-los em écrans de tablets, Iphones, graças ao HTLM,CCS, SEO, etc, mantenho (ainda) a fidelidade aos  livros em papel, mesmo aqueles velhinhos e cheios de pó como os da Barateira.

Admiro quem (ainda) os cose à mão e os edita com carinho, como filhos da escrita de outros.

No entanto, há preciosidades que começam a ficar corroídas com o  passar do tempo.

Por isso é tão importante o projeto Gutenberg, cuja equipa de voluntários revê e edita maravilhas como esta ( O que fazem mulheres - versão digital em vários formatos para download- de Camilo Castelo Branco).

Se quiser fazer o seu ebook leia este post no site Porvir . Quem sabe se poderá no futuro vender a sua obra na Amazon!

9dc371b0cbb2e9c58c4c31ae18f4f000.jpg

                                                         Via Pinterest- Gerg Fergus-https://www.youtube.com/watch?                                      v=2NK93OE2XBo (Beirut ao vivo, 2010)

                                             aos meus alunos e ao meu filho com quem aprendo todos os dias.

                                                                         @marinamalheiro

publicado por marina malheiro às 00:00 link do post
22 de Abril de 2015

                        The Shins, Simple song, 2012 ( all rights reserved to The Shins)

 

publicado por marina malheiro às 16:34 link do post
21 de Abril de 2015

[a vida é uma questão de vírgulas nos espaços certos.

se o texto se perde nas reticências inesperadas, boas ou más, tem de se refazer o corpo. amortização.

muitas deduções específicas. proveitos e sem passivo.

uma questão de gestão estratégica pura e simples? falhar melhor dizia Beckett. ]

@marinamalheiro

https://www.youtube.com/watch?v=P_i1xk07o4g Vampire Weekend, Oxford Comma, 2013

bisada , algures no tempo, neste Blog.

publicado por marina malheiro às 20:36 link do post
Abril 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
19
subscrever feeds
Mensagens
Tracker
Posts mais comentados
12 comentários
4 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
sitemeter
Sitemeter
Wook
Wook
Pensa num Número - www.wook.pt
Facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ainda estou em choque com tamanha tragédia!Os rela...
Melhor que a música, a companhia...
Obrigada pelo teu comentário. Para quem gosta de c...
Pois... não é por snobismo que moro onde moro,é me...
Caro ZT,obrigada pela referência. :)Saudações jazz...
Lembra Black Moth Super Rainbow.Inebriante.
Feel free to blush
Ai que ruborizo :)
Adorei caro Fio de Beque. Obrigada pela partilha. ...
Era esta :D https://youtu.be/XviMAXKvewM
blogs SAPO